quarta-feira, 14 de setembro de 2011

SOBRE OS PIOLHOS DE GALINHAS (Dermanyssus gallinae)


Recebo de um amigo e leitor, uma consulta sobre o piolho de galinhas (Dermanyssus gallinae) em ambiente urbano. Relata que deparou com um caso de alta infestação em galinhas criadas no quintal de uma residência e que estariam já invadindo até a casa do proprietário, criando uma situação bem séria. Então, vamos aproveitar a oportunidade para darmos um passeio (como sempre faço) sobre esse tema.
Piolho de galinhas, ácaro das galinhas, ácaro vermelho, piolhinho, bicho de galinha, carrapato de galinha e outros nomes populares e regionais deste país continente. Na avicultura industrial, torna-se uma temível praga que afeta fortemente a aves de postura, principalmente, porque espoliam a ave, sugam-lhe o sangue podendo levar à anemia, causam enorme stress com conseqüente queda na produção de ovos. De fato, no sistema de criação em gaiolas, a galinha poedeira mal consegue virar-se para poder remover com o bico os ácaros que se alojam em sua cloaca; há granjas que usam o sistema de colocar até duas poedeiras por gaiola, prática que impossibilita qualquer movimento que a ave possa executar para remover os ácaros de sua cloaca. Eu, particularmente, embora entenda a busca pela produtividade, abomino essa prática. Mas voltemos ao tema.
Duas espécies de ácaros se confundem sob o nome de ácaro vermelho das galinhas: o Demanyssus gallinae (prevalente) e o Ornythonissus bursa (menos frequente). Como ambos têm ciclos biológicos e ações daninhas muito parecidos, vamos nos ater ao mais comum que é o D.gallinae. O ácaro vermelho (assim chamado porque ao se alimentar fica ingurgitado com o sangue da pobre galinha) é um ectoparasita de galinhas e de outras aves (pombos, pardais, etc). Costumam passar o dia escondido em fendas e gretas das instalações onde as aves estão alojadas (onde cruzam e põem seus ovos) e à noite, buscam-nas para se alimentar. Em condições ideais, seu ciclo biológico pode se completar em apenas sete dias (adulto, ovo, larva, ninfas e adulto novamente). Embora precisem de uma ave para completar seu ciclo, os ácaros vermelhos podem infestar mamíferos incluindo os humanos, causando dermatites e lesões de pele. Além da espoliação, os ácaros vermelhos podem transmitir doenças às aves como a salmonelose e a espiroquetose aviária. O dermanissus pode sobreviver em um galpão vazio de aves, por até 10 meses.
O combate aos ácaros vermelhos passa pelo tratamento das aves, mas principalmente pela desinfestação das instalações. Claro que ideal seria tratar as instalações quando estivessem vazias, sem a presença das aves. Na avicultura industrial esse período se chama “vazio”, mas em uma criação doméstica, as galinhas estão sempre presentes, de forma que ao planejarmos o combate, temos que tratar as aves e as instalações ao mesmo tempo. Antes de tudo, é preciso ter em mente que as infestações por ácaros vermelhos são muito persistentes e um tratamento isolado dificilmente resolverá o problemas, tendo que ser repetido algumas vezes com intervalos relativamente curtos (máximo de um mês); todavia, não deve ser muito curto (mínimo de uma semana), pois as aves podem se intoxicar.
Se não estivermos lidando com cepas já resistentes a certos acaricidas, até que o tratamento é relativamente simples, uma vez que os ácaros são sensíveis à maioria dos biocidas. Bons piretróides, carbamatos (como o propoxur) e até organofosforados rápidos (como o DDVP), em dosagens leves, podem ser utilizados quando pulverizados ou polvilhados brevemente nas aves. Quando o número de galinhas é relativamente pequeno, pode-se executar o tratamento uma a uma, colocando o acaricida diretamente na cloaca por gotejamento ou polvilhamento (se o produto for um pó seco). Mas, como os ácaros concentram-se nas instalações e não nas aves, é ali que devemos priorizar a aplicação dos acaricidas. Frestas, reentrâncias, gretas, desvãos, além das próprias gaiolas (ou galinheiros) devem ser pulverizadas (ou polvilhadas) rigorosamente, incluindo as estruturas mais próximas que possam estar servindo de esconderijo diurno aos ácaros. Experimentei com muito sucesso um produto microencapsulado, certa vez, que sequer influiu na postura do plantel. Não esqueçamos que ninhos de aves silvestres nas proximidades do galinheiro, pinteiro ou galpão, devem ser removidos e evitados.

22 comentários:

  1. Estou precisando de ajuda!
    Acho que tenho uma infestação de pulgas de galinha em casa.
    Temos apenas 2 galinhas que ficam há uns 50 metros da casa.
    Moramos na zona rural e temos 2 cachorros.
    Há uns 6 dias, vi que estava com o corpo todo picado e uma coceira terrível, que se agravava na madrugada. O meu esposo tambem.
    Fui ao medico e ele suspeitou que fosse aquele carrapato bem pequeno que causa sarna, e me receitou recevtina (2 comprimidos de uma só vez).
    Comprei o leverctin (laboratorio EMS). Mas não resolveu.
    Compramos uma bucha e passamos a esfregar bem a nossa pele, caso fosse carrapato, mas nada adiantou.
    A cada dia, eu via mais picada pelo corpo.
    Então, passei mortein pela casa toda, achando que podia ser pulga. Não resolveu.
    Comprei um produto chamado butox e dilui em agua e dei banho nos cachorros, borrifei na cama, no sofá...Na casa inteira -Moramos numa casa de madeira- e tambem nos arredores da casa, tapetes...E tambem comprei um inseticida em pó chamado PIK PULGA (propoxur 2%, passei pela casa e nos locais onde ficam os cachorros (na varanda da casa, principalmente).
    Eu acho que não adiantou, pois fui picada do mesmo jeito.
    Preciso de ajuda! Já não sei mais o que fazer!
    Será que estou com piolho de galinha no corpo? Posso passar butox no corpo? Tem algum outro remedio que eu possa usar que resolva o problema? Eu tenho a impressão que é um parasita bem pequeno, pois não consigo ver nada.

    ResponderExcluir
  2. quero sabe oq vc fes pois minha cs tb ta assim faz 2 dia me ajude ob

    ResponderExcluir
  3. A minha também, inclusive, eu, minha filha estamos todas picadas.....encontrei essas pragas até nos cobertores....

    ResponderExcluir
  4. tambem estou cm esse mesmo problema n aguento mais essas picadas e coceira, me ajudem por favor estou cm um recem nascido em casa e n sei o que fazer, ate banho de vinagre estou tomando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bom dia, estou com mesmo problema seu, você conseguiu solucionar?

      Excluir
  5. Pessoal: tudo o que vcs fizeram, lamento informar, é apenas paliativo. É preciso atacar a origem do problema. Pelas informações passadas, ouso acreditar que o problema possa ser causado por pombos com ninhos no forro de suas casas. Não é porque o piolho seja chamado "de galinha" que ele não infeste outras aves, especialmente pombos. Se for esse o caso, é preciso eliminar os ninhos lá no forro, remover o pó acumulado (atenção, proteja o nariz com um lenço úmido enquanto executa essa limpeza) e, PRINCIPALMENTE impedir que os pombos possam entrar no forro da casa seja com massa de alvenaria tampando os beirais, seja com rede, etc. Boa sorte!

    ResponderExcluir
  6. Olá, comprei algumas galinhas há um mês, elas elas ficaram por três dias no meu quintal. Depois foram abatidas para consumo.
    Logo que cheguei do sítio notei manchas vermelhas e muita coceira, pensei que tivesse sido picada de mosquito.
    Quando fui abater as galinhas notei que tinhas vários pontos laranja nas pernas, asas e até próximo aos olhos.
    Não tenho animais de estimação em casa, mas meu quintal é todo gramado e aparecem vários pássaros, mas nunca vi ninhos.
    O problema que estão aparecendo novos manchas vermelhas, coceira e no centro percebi um minusculo pontinho laranja, igual ao que tinha nas galinhas. Tenho duas crianças menores de cinco anos em casa, já não sei o que fazer para dar fim na coceira.
    Como livrar meu quintal desse ácaro?

    ResponderExcluir
  7. eu tenho um vizinho que cria varias galinha ficam andadando em cima da minha casa no muro por todo lado estamos numa coceira procuro e nao vejo nada sera que e piolho de galinha?

    ResponderExcluir
  8. bom dia! tambem estou com esse mesmo problema ja faz 03 dias. da umas coceiras e as vezes parece que tem alguns bichos andando em nosso corpo. mas quando olho nao vejo nada! minha casa é de alvenaria e eu nao tenho pombos! Mas outro dia fui a casa da vizinha pegar uma galinha para um amigo meu e acho que foi isso!
    tem solução! nao aguento mais essa coceira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Ivan: esses piolhos não penetram na pele onde apenas se alojam caminhando para aqui ou ali. Dessa forma, para eliminá-los basta banhar-se rigorosamente com bastante esfregação e usar topicamente algum desses produtos destinados a combater sarna (todos contêm algum acaricida). Todavia, minha recomendação é que você busque um médico DERMATOLOGISTA que conduzirá seu tratamento. Cuidado, verifique se o médico não é cubano, rs rs rs! Desculpe a piada, mas ela é no mínimo atual.

      Excluir
  9. Estou passando pelo mesmo problema e estou com o corpo todo picado! Descobri que a infestação veio do quintal onde tenho algumas aves e os pombos aproveitam os restos de comida. Passei um pó (bolfo) em todo o ambiente onde as aves dormem e nelas também. Hoje já notei que diminuiu mas ainda vou precisar repetir daqui há uns 10 dias e ficar de olho, ou melhor, de lupa, pois os tais são minúsculos. Essa praga é terrível.

    ResponderExcluir
  10. Não esmoreça! Compare nosso tamanho com o deles! Temos que vencer!

    ResponderExcluir
  11. estou tb com essas coceiras, acredito que eles se alojam na cabeça, pois não adianta tomar banho...as picadas começam e não param...são bem pequenos....será que o nem ajuda...

    ResponderExcluir
  12. Pessoal: o piolho de galinhas é bastante sensível a certos inseticidas, os mesmos utilizados para combater piolhos humanos encontrados em qualquer farmácia. Minha sugestão: procure um dermatologista; ele saberá o que fazer!

    ResponderExcluir
  13. Meu sofá chegou do estofador há 8 dias e por coincidência começamos a ver pequenos insetos (tamanho menor que 1mm) andando pelas paredes, próximas ao sofá. São escuros, quase pretos, movem-se devagar e não tem asas, tem formato ligeiramente arredondado. Com certeza não são formiguinhas- são menores e diferentes delas, além de não andarem em filas. Na sala ele sobe em nós e os percebemos andando em nós, causando prurido, mas SEM PICADAS, sem irritar a pele, mas causando intenso mal estar pelo andar do bicho em nós. Não parece ser o piolho comum, pois não aparecem lendeas e ausencia de coceira (quase sem coceira). Passeiam pelo nosso corpo todo, às vezes na virilha, braços, cabeça, etc ...
    Já experimentamos jogar inseticida (tipo Baygon spray) por toda a parede, rodapé, nas partes inferiores do sofá. Melhorou mas continuam. Não temos pombos nem galinhas por perto. Muito poucas aves que visitam o quintal. Tenho gatos e 1 cão no quintal que não estão se coçando.
    O que pode ser? Como nos livrar desta praga?

    ResponderExcluir
  14. Dica simples e rápida: coloque uns 50 gramas de mastruz numa panela com aproximadamente um litro de água. Ferva e deixe repousar por umas 12 horas. Adicione aproximadamente 50 ml de álcool (esse que vende em supermercado) e borrife sobre as galinhas. Tente borrifar sob as asas também. Borrife também nas instalações do galinheiro, tomando o cuidado de remover toda a cama das poedeiras. Se quiser complementar o tratamento, há um talco chamado Talfon que é vendido em casas de ração e custa uns R$ 7,00 que também mata os piolhos das galinhas. Feito esse procedimento, no dia seguinte não haverá mais nenhum piolho, nem nas galinhas nem no galinheiro. Se outros animais domésticos forem contaminados, aplique o mesmo procedimento neles também.

    ResponderExcluir
  15. nossaaaaaa!!!!! estou com essas coceiras e picadas também!!! tinha 1 galinha no pátio ontem dei a galinha e fui limpar o galinheiro... meuuuuu Deus acho que achei o ninho deles começaram a subir pelo corpo foi daí que consegui enxergar os bichinhos quase imperceptível até então!!! não sei o que fazer!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Raquel. Vc tem que tratar o galinheiro pulverizando com algum Inseticida tipo PM (Pó Molhável) o qual vc diluirá em água de acordo com as instruções do rótulo. Ao mesmo tempo, a galinha tem que ser tratada, se é que já não foi para a panela! Vc mesma pode fazê-lo dando um bom banho de bacia nela contendo uma calda de algum inseticida tipo CE ou EC (está no rótulo). Contudo, esses produtos só serão encontrados em casas de artigos e produtos agropecuários.

      Excluir
  16. Pulverize as instalações periodicamente com óleo diesel (combustível mesmo), sempre que notar a presença do piolho refaça a pulverização, aqui nas minhas instalações obtive ótimo resultado.

    ResponderExcluir
  17. A ideia é boa, Leal. Contudo há que avaliar:
    - não são todas as instalações que permitem a aplicação de óleo diesel ou óleo queimado, por razões estéticas e outras.
    - esses óleos são inflamáveis e assim, o risco de incêndio cresce.
    - há a necessidade de reaplicações constantes.

    ResponderExcluir
  18. Moro em um apartamento e não consigo encontrar o foco da infestação, já espalhei repelente de pombos em gel nos batentes de janelas e os piolhos só fazem aumentar, ainda mais neste período de chuva. Alguma possibilidade de repelente para passar no corpo? Também tenho um bebê de 4 meses sofrendo com as picadas.

    ResponderExcluir
  19. Amiga Lise. A pele tem grande poder de absorção; tudo o que nela cai, acaba sendo absorvido pelo corpo e as consequências podem ser imprevisíveis. Além do que, usar um repelente ou um piolhicida no corpo, vc estrá tratando a consequência e não a causa. As malófagas não sobrevivem como ectoparasitas dos humanos; são completamente adaptados às aves. Insisto que vc tem que eliminar as infestações de piolhos da residência (pombos? passarinhos?).

    ResponderExcluir